Anodização

Processo eletrolítico que forma sobre a liga de alumínio um óxido de espessura determinada. Em matéria de decoração da superfície dos perfis de alumínio, dois sub-tratamentos são habitualmente usados:
- O polido (resultado de um tratamento mecânico);
- O acetinado (resultado de um tratamento químico).

 

Este processo oferece à Arquitetura não só a cor natural do alumínio mas igualmente uma gama de cores conseguidas com a coloração eletrolítica, que vão desde a cor champanhe até ao preto, passando pelas cores bronze.

 


 

 

Para os perfis de alumínio anodizados para arquitetura, as condições de realização e qualidade deste tratamento estão instituídas em diretivas e normas que os produtores devem respeitar. Neste âmbito, existe na Europa o organismo Qualanod que gere a marca de qualidade de igual designação e certifica os produtores (com a participação de entidades inspetoras nacionais – no caso português, o LNEC) podendo estes, apresentar para reconhecimento da sua qualidade para arquitetura, essa mesma marca.


A Extrusal, detentora deste certificado ( nº 1405) desde 1983, assegura o cumprimento das diretivas da Qualanod e a observância das normas: NP 1482, NP 1480, NP 2908 e NP 2907.

 



 

Neste tipo de tratamento de superfície, são estabelecidas diversas classes da espessura da camada:


I) Classe 10 µm - Destinada a aplicações interiores;
II) Classe 15 µm - Destinada a perfis de alumínio para arquitetura;
III) Classe 20 µm - Recomendada para perfis de alumínio para arquitetura inseridos em ambientes elevadamente agressivos;
IV) Classe 25 µm - Recomendada para perfis de alumínio para arquitetura inseridos em ambientes muito agressivos.


 Aplicação Agressividade do Ambiente
 Classe ( µm)
 Interior  Baixo  10
 Exterior  Médio  15
   Elevado  20
   Muito Elevado
 25